NOTICIA

Inep apresenta projetos a entidades da educação superior

27/09/2021 08:58

Iniciativas do Instituto com foco em governança, inovação e aprimoramento das avaliações no setor foram pautas do encontro, que aconteceu virtualmente.


Gestores do Instituto apresentaram indicadores de performance e desempenho dos serviços da Autarquia e as medidas de aprimoramento no que diz respeito à governança. Crédito: Reprodução

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas, reuniu, na manhã desta última sexta-feira, 24 de setembro, representantes do Inep e do Fórum de Presidentes do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) para explanar as iniciativas prioritárias da gestão e debater governança e estratégia. Durante o encontro virtual, foram apresentados os indicadores de performance e desempenho dos serviços do Instituto e as medidas de aprimoramento no que diz respeito à governança, à inteligência de gestão e à análise preditiva realizadas pela Autarquia.

Danilo Dupas detalhou aspectos referentes à modernização da governança e falou sobre os desafios referentes à gestão e à inovação do Instituto. “Fizemos questão de buscar a reestruturação do Inep para que tenhamos um trabalho forte de transparência, atrelado ao planejamento estratégico”, disse. Eduardo Carvalho Nepomuceno Alencar, chefe da Assessoria de Governança e Gestão do Inep, apresentou algumas das missões do novo setor, que tem como objetivo aprimorar o modelo de gestão estratégica. A Autarquia busca reformular e estabelecer novos procedimentos que proporcionem mais transparência e segurança jurídica.

“Baseamo-nos nos pilares da governança, no sentido de melhorar os processos, para que tenhamos uma capacidade de resposta à sociedade mais rápida e coerente. A nossa grande missão é ter um funcionamento mais fluído e transparente”, afirmou Eduardo. Uma das iniciativas ligadas à assessoria, desde que foi instituída, em julho, foi a publicação da nova portaria sobre Gratificação por Encargo em Curso ou Concurso (GECC). Outro avanço foi o aperfeiçoamento do processo seletivo de contratação de consultores. O Instituto também implantou o modelo de análise de normativos para identificação de lacunas e está implementando a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Segundo o presidente do Inep, em breve, outros projetos serão apresentados ao Comitê de Governança Institucional (CGI), órgão colegiado de assessoramento à presidência do Inep, e encaminhados ao ministro da Educação, Milton Ribeiro. “A perspectiva é que, no ano que vem, tenhamos um planejamento estratégico exequível, com metas, integrado ao plano de gestão e baseado em experiências de sucesso do setor da educação”, comentou Danilo Dupas.

Avaliação virtual – O presidente Danilo Dupas também falou sobre o andamento de iniciativas de destaque da atual gestão, como o novo modelo de avaliação de cursos de graduação e instituições de educação superior, com avaliações externas virtuais in loco. De abril a setembro, já foram realizadas 2.600 visitas. Em 2018 e em 2019, o patamar foi de 5,5 mil visitas por ano. “Foi fundamental o apoio incondicional do senhor ministro Milton Ribeiro, da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e de instituições do setor, que nos deram apoio para fazer os testes de visitas virtuais até a sua consolidação”, afirmou.

A expectativa é que o formato das avaliações permaneça, mesmo após a pandemia. “Estamos trabalhando para tornar o modelo perene. As visitas se sustentam no pilar da transparência da prestação de contas. Os procedimentos são gravados e ocupam a metade do tempo. Com isso, também reduzimos os custos”, explicou o presidente do Inep.

Segundo o diretor de Avaliação da Educação Superior do Inep, Luís Filipe de Miranda Grochocki, são grandes as possibilidades de ampliar a utilização do modelo dentro do processo avaliativo das instituições de ensino e dos cursos oferecidos. “Estamos trabalhando para adequar a avaliação virtual in loco aos atos de permanência, e não só aos atos de entrada. Provavelmente, teremos esse avanço a partir do mês de novembro”, disse.

Waldemiro Gremski, presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, chamou a atenção para o impacto das iniciativas e dos projetos do Inep no setor. “O Inep é uma vitrine e, no momento em que vivemos, é importante que faça o processo caminhar, como está fazendo. Toda a sua função como autarquia, nos processos de avaliação, na gestão de conhecimento e na produção de estatísticas, faz do Instituto um órgão complexo, mas, acima de tudo, estratégico para o ensino superior brasileiro”, pontuou Gremski. Para a presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), Elizabeth Guedes, o trabalho de implementação das avaliações virtuais, em curto espaço de tempo, tem sido fundamental para o desafogo dos processos avaliativos.

Estudos educacionais A diretora de Estudos Educacionais do Inep, Michele Melo, falou a respeito do fortalecimento da governança em relação às publicações e também sobre a modernização na forma de disseminar as evidências educacionais e os dados produzidos pelo Instituto. Recentemente, o Inep criou normas para a realização de estudos autorais. “Teremos um formato reconhecido e já aplicado nas revistas do Instituto. A ideia é trazer a excelência para esse processo de fomento aos estudos e pesquisas do Inep, com uma metodologia que inclui a participação de pareceristas externos na avaliação dos trabalhos e a criação de uma comissão externa para análise das propostas. Também serão publicados editais
Inep participou de reunião do Fórum de Presidentes do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, nesta sexta-feira (24). Crédito: Reprodução
 públicos de chamadas para estudos”, afirmou Michele.

Além disso, o Inep trabalha na criação de novas linhas de estudos, com foco em análise preditiva, estudos econométricos e na criação de uma rede com parceiros estratégicos. Neste mês, o Ministério da Educação (MEC) e o Inep lançaram, em parceria, o livro “Custo Aluno Qualidade (CAQ): contribuições conceituais e metodológicas”. A publicação reúne os principais estudos e pesquisas no que se refere ao investimento mínimo necessário por estudante para que as redes de ensino possam ofertar uma educação básica de qualidade no Brasil. Os coautores e organizadores do livro são pesquisadores do Instituto. No MEC, o CAQ é tratado atualmente no âmbito do Comitê Permanente de Avaliação de Custos na Educação Básica.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Inep


Portaria reajusta em 23% o valor mínimo das bolsas de Residência

15/10/2021 16:54

Conheça o perfil dos professores brasileiros

15/10/2021 07:30

Comissão de Educação avalia sistema de pós-graduação no Brasil

15/10/2021 07:14

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Artigos, notícias e informativos sobre legislação da área da educação



CONTATO

SEPN 516 Norte, Bloco D, Lote 9,

Edifício Via Universitas, 4° andar

CEP 70.770-524 - Brasília - DF

Entrada pela via W2

(61) 3349.3300

(61) 3347.4951

(61) 3030.2200

(61) 9.9370.3311

abruc@abruc.org.br

REDES SOCIAIS

COPYRIGHT © 2018 ABRUC. A ABRUC não é responsável pelo conteúdo de sites externos.